China quer exportar novo míssil anti-navio

Publicado em: 01/12/2014

Categoria: NOTÍCIAS

Visualizações : 1222

Tags: , , ,

Do Rio de Janeiro

A China apresentou recentemente ao mundo seu novo míssil supersônico anti-navio, o CX-1, e agora anuncia que planeja exportar a arma para o Irã, Paquistão, países da África e da América do Sul.

O míssil possui duas versões, o CX-1A lançado de navios, e o CX-1B lançado de terra, e pode engajar alvos no mar e em terra. Possui velocidade supersônica e capacidade de manobras variando de sea-skimming para voo mais alto, atingindo um alvo com margem de erro circular de 20 metros.

Foto: Internet

Suas capacidades anunciadas estão dento dos limites estabelecidos pelo MTCR (Missile Technology Control Regime) que proíbe a exportação de mísseis com mais de 300km de alcance e ogiva maior que 500kg, possuindo portanto um alcance na faixa de 280km e ogiva de 260kg.

Chegando a Mach 3, o míssil pode levar uma cabeça de guerra semi-perfurante antiblindagem para atacar navios, ou cabeças de fragmentação e perfurantes para ataques em solo.

Seu desenho é massivamente similar ao do míssil Russo-Indiano BrahMos, porém a indústria chinesa insiste em afirmar que apenas a entrada de ar frontal é similar, tendo as asas e alhetas um desenho muito diferente, descartando a possibilidade de uma cópia. Porém é notória a capacidade de cópia chinesa, e é sabido que o míssil BrahMos foi vendido para o Vietnam e Indonésia, e que não seria de se espantar que um desses países tenha fornecido detalhes da arma para a China.

Foto: internet

A possibilidade de a arma ser vendida para o Paquistão chama a atenção da Índia, eterno inimigo do país e que, até então, possui vantagem bélica no cenário antinavio justamente por operar o BrahMos.

Portal Defesa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

UA-44933895-1