RS-26 Rubezh é lançado com sucesso

Por: César A. Ferreira

No dia 18 de março último, segundo informe do Ministério da Defesa da Federação Russa, deu-se o lançamento de teste do novo míssil balístico intercontinental RS-26 Rubezh. Lançado do Centro de Lançamentos Sul, Kapustin Yar, veio minutos após a atingir a área selecionada na faixa de Shari Sagan, localizada na República do Cazaquistão. Este é o quarto teste bem sucedido em cinco realizados. Com este sucesso espera-se a adoção deste vetor nas forças de dissuasão nuclear da Federação Russa para o ano de 2016.

Os lançamentos de testes do ICBM RS-26 já realizados possuem o seguinte histórico: fracasso no primeiro lançamento em 2011; sucesso no segundo lançamento, realizado em maio 2012, a partir do Cosmódromo de Plesetsk, quando atingiu a área especificada na faixa de Kura, 6.000 km distante; sucesso no lançamento realizado em outubro de 2012, este a partir do Centro de Lançamentos Sul, Kapustin Yar, com acerto observado na área especificada na faixa de Shari Sagan, este teste foi seguido de outro nas mesmas condições, com sucesso, em 2013. Todos estes exibiram o alcance previsto, da ordem de 6.000 km e compreenderam veículos de reentrada únicos e múltiplos (MIRV).

RS-26 em sua plataforma móvel.

RS-26 em sua plataforma móvel.

O RS-26 Rubezh é um ICBM (Intercontinetal Ballistic Missile), com alcance previsto de 5.800 ~6.000 km. Este é um dado importante, visto que se aproxima do limite de classificação para um IRBM (Intermediate-Range Ballistic Missile), cujo alcance máximo é da ordem de 5.500 km e está banido por tratado. Acredita-se que os veículos de reentrada sejam novos e capazes de manobras quando da penetração hipersônica, capacidade considerada pelos russos como imprescindível para a superação dos modernos sistemas anti-mísseis, objetivo, aliás, declarado de viva voz pelo Coronel-general Vladimir Zarudnitsky, Chefe do Departamento de Operações do Estado-Maior das Armas.

Desenvolvido a partir do RS-24 Yars, o RS-26 Rubezh é menor e mais leve, móvel como os seus antecessores, além de compacto, possui como destino substituir tanto o Yars, como o ICBM Topol-M, primeiro tornando-se complementar a estes, depois como substituto efetivo na classe de ICBM de combustível sólido de pronto emprego no componente de mísseis estratégicos da defesa nuclear da Federação Russa.

Portal Defesa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

UA-44933895-1