H-225M: Força Aérea Brasileira entra em novo patamar

De Campo Grande – MS

Dentro do programa H-XBR que prevê a entrega de 50 unidades do helicóptero de transporte médio Caracal para as três forças armadas do Brasil, foi apresentado pela primeira vez ao público em abril último, na LAAD 2015, a versão especializada destinada a Força Aérea Brasileira (FAB) do H-225M, nova denominação do fabricante Helibrás para o EC-725. Helibrás é a fabricante nacional e fornecedora da aeronave bem como a principal beneficiária do programa H-XBR com recebimento de transferência de tecnologia, faz parte do grupo  Airbus Helicopters(ex Eurocopter).

O H-225M que na FAB tem a designação H-36, estava em exposição no pátio externo, próximo ao estande da Helibrás,  no Riocentro, Rio de Janeiro capital. A versão especializada que será entregue até o final do ano a FAB apresentou componentes exclusivos, sendo um inédito dentro da Força, o probe de reabastecimento aéreo para helicópteros, o que transformará a FAB na única operadora de helicóptero com capacidade para realizar reabastecimento em voo (REVO) na América Latina. Serão oito aeronaves da versão especializada a serem entregues a FAB: Quatro unidades para o 2º/10º GAv, Esquadrão Pelicano que será o maior operador; Duas unidades para o 1º/8º GAv , Esquadrão Falcão e duas unidades para o  3º/8º GAv, Esquadrão Puma.

A aeronave conta ainda com blindagem para a tripulação e sistemas principais, é armada com duas metralhadoras laterais calibre 7,62mm que ficam na janela lateral em ambos lados da cabine, utiliza os mesmos motores(2) Makila 2A1 com 2.415 shp de potência da versão básica. Apesar de não estar presente na aeronave em exposição, o H-225M receberá o Supressor de Radiação Infravermelho(Jet Dilution Device) dispositivo instalado na saída de gases do motor com o objetivo de diminuir a assinatura térmica,  unidades do Exército e Marinha do Brasil também receberão.

Com peso vazio situado a na faixa de 5.715 Kg para a versão básica, a especializada ficou um pouco mais pesada devido aos novos componentes embarcados. Tem sua cabine preparada para operação de Óculos de Visão Noturna (OVN) com Glass cockpit (monitores digitais com múltiplas funções ), sua comunicação é protegida por criptografia. Dentre as missões previstas para o H-36 está o C-SAR (Combat-Search and Rescue),  busca e resgate em combate. Sendo uma das operações mais crítica na atualidade, objetiva o regaste de tripulações abatidas ou que tenham se acidentado em território hostil durante um conflito,  para isso o H-225M  está trazendo uma suíte de sensores e sistema de autoproteção capaz de enfrentar as mais modernas ameaças no cenário atual. O Caracal  será o  segundo modelo de helicóptero na FAB a operar com sistemas de auto proteção,  a primeira experiência foi com o AH-2 Sabre, um helicóptero de ataque e transporte, de fabricação russa. No entanto, os sistemas embarcados no H-36 são mais atualizados.

Principais caracteristicas do H-225M especializado da FAB

 Probe(sonda) de reabastecimento aéreo

Probe frente probe ponta IV Probe frente baixoprobe traseiro Lança estendida

O probe de REVO localiza-se instalado à direita e abaixo da aeronave. Medindo quatro metros e meio de comprimento, pode chegar a  sete metros  quando utilizada a “lança”, tubo encapsulado internamente que possui em sua extremidade frontal uma “sonda”. A sonda controla a passagem de combustível em pleno voo quando engatada a uma “cesta”, uma armação flexivel de metal e lona em forma de mini-paraquedas com abertura no centro e tubo conector, fica instalada no final da mangueira do reabastecedor, mantém a mangueira suspensa e estabilizada durante o voo. Para a operação de REVO, o probe tem sua lança estendida para frente, isso é necessário para permitir uma operação mais segura do  helicóptero durante a execução da manobra de reabastecimento por causa de seu rotor principal girando próximo e acima da mangueira do reabastecedor, o que exige grande perícia da tripulação. Para receber o probe,  o H-225M passou por preparação, com instalação de componentes interno e externo como mangueiras, fiação elétrica e suporte de fixação do dispositivo. O probe foi fornecido à Helibras pela Airbus Helicopter, através da empresa Quinson, tem seu peso situado abaixo de 150 Kg.

Vídeo da Armée de L’Air(Força Aérea Francesa) na campanha de testes de REVO do H-225M(ex EC-725) com C-130J da Aeronautica Militare(Força Aérea Italiana)

Segundo a Helibrás, os ensaios de REVO do H-225M já foram realizados, estando em curso o processo de certificação da aeronave pelo IFI (Instituto de Fomento e Coordenação Industrial ) do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), em São José dos Campos – SP, órgão da Aeronáutica responsável pela certificação de aeronaves e equipamentos aeronáuticos civis e militares para uso no Brasil. O Instituto emitirá o Certificado Suplementar de Tipo(CST). Prevista para o segundo semestre de 2015, a campanha operacional  e a realização de REVO no Brasil utilizará o reabastecedor KC-130M da FAB, que está passando por uma atualização na cesta de reabastecimento, a troca é necessária para o uso em velocidade mais baixas, o H-225M é capaz de ser reabastecido com a velocidade entre 200 a 240 Km/h, inferior à utilizada pelos aviões de caça por exemplo. A altitude de operação pode variar entre 150 e 3.500 metros.  Essa campanha contará com tripulações da Airbus Helicopters, Helibrás e da FAB.

FLIR(Forward Looking Infra Red)

FLIR frenteFLIR esquerdo FLIR direito

Logo a frente da aeronave, abaixo do domo do radar, em uma estação dedicada, localiza-se o FLIR.  Trata-se de uma torre estabilizada em formato esférico com seis aberturas protegidas por lentes, abriga em seu interior câmeras e sensores para varias aplicações de imagens, sendo capaz de produzir com alta qualidade vídeos óticos e no espectro infravermelho com o objeto alvo a grande distância, de dia ou noite e sob qualquer tempo. Opera com cobertura de 360º, elevação de +30º/-120º, temperatura -40ºC/55ºC. As principais característica da torre são: Imageador térmico com zoom de setenta e uma vezes (ampliação no espectro infravermelho); Resolução de 640×480; Estabilização em cinco eixos da torre; Spotter scope com filtro de penetração em cerração (operação em mal tempo, neblina ou fumaça); Laser ranger finder para fornecer com precisão a distância até o alvo; Laser pointer que permite iluminar alvos no solo que se tornam visíveis à tropa munida de óculos de visão noturna (com alcance até 25Km); Geo Point Package(GPP) com Inertial Measurement Unit (IMU) para reduzir a carga de trabalho e mostrar a latitude e longitude; Integração facilitada aos sistemas nativos existente na aeronave. Fornecido pela FLIR SYSTEM, o modelo empregado é o STAR SAFIRE III, seu peso está situado em 44 Kg.  O H-225M é o segundo modelo de helicóptero na FAB a empregar operacionalmente o FLIR, sendo o primeiro o AH-2 Sabre com sua torre GOES-342.

Vídeo do STAR SAFIRE familia HD(nova geração) que mostra muitas das funções presente no SAFIRE III

Sistema IDAS/CIDAS SAAB

O Integrated Defensive Aids Suite (IDAS) ou Suite Integrada de Equipamentos Auxiliares de Defesa da  sueca SAAB, é  responsável pela autoproteção periférica do H-225M e visa aumentar sua capacidade de sobrevivência nos cenários de conflitos modernos, composto de sensores que trabalham alertando com antecedência às tripulações sobre ameaças de radares, emissão laser e mísseis hostis. Dentre as plataformas que já utilizam o sistema estão o AgustaWestland  A129, Super Lynx-300 A; Boeing CH-47 Chinook; Denel Rooivalk; NH Industries NH90; Lockheed Martin C-130B, H e L100 e Su-30MKM. Abaixo a descrição do sistema IDAS empregado no H-225M.

                    MAW – 300                                                   LWS-310                                                 RWS-300 Sensor laser cabine perto LWS 300 image

MAW-300 (Missile Aproach Warning)

Alerta de aproximação de Míssil, trabalha o espectro UV (Ultra Violeta), através de filtro especiais com capacidade de “captura” de fótons (comprimento de onda) a longa distância. Usando o que o fabricante chama de “rede de classificador neural”, trabalha com o posicionamento da plataforma no espaço com relação ao seu deslocamento em voo, utilizando-se dos dados de INS/GPS nativos da aeronave, permite, uma vez detectado uma ameaça, seu descarte quando for um alarme falso, ou quando válida, classifica o seu grau de risco, projetando, por probabilidade, a trajetória futura do míssil, podendo acionar medidas defensivas com Flare/Chaff direcionando à ameaça. Cada sensor que tem um campo de atuação em 110º, possui seu próprio processador, utiliza sinal digital com arquitetura hierárquica de processamento de dados, distribuídos para garantir uma otimização das informações em tempo real.  Os dados de cada sensor, que pode detectar e processar múltiplos alvos potenciais, são transferidos para uma central digital (controlador MAW) no EWC (Electronic Warfare Controller). São utilizados quatros sensores instalados em cada quadrante do helicóptero, provendo cobertura em 360º,  sendo dois a frente e acima da janela do piloto/copiloto e dois atrás, na extremidade da carenagem do trem de pouso principal em estação conjugada tripla com mais dois sensores(LWS-310/RWS-300).

Sensores frente Sensor laser cabine Sensor direito dianteiro

LWS-310 (Laser Warning System)

Sistema de Alerta Laser, tem a funcionalidade usando quatro sensores ligados ao EWC (Electronic Warfare Controller), hardware responsável pela processamento dos dados captados pelos sensores. O sensor LWS-310 é um cubo com a frente em forma de arco contendo oito mini-janelas multidirecionadas com grande abertura angular e capaz de ler  comprimento de onda de 0,5-1,7 μm(microns), apresentando alta sensibilidade a lasers  diversos. Pode classificar ameaças como  telêmetros a laser, designadoreslasers usados ​​para orientação de mísseis com um sistema embarcado que possua biblioteca dos dados.  Assim como o MAW-300, o LWS-310 está instalado nos quadrantes do H-225M, sendo na parte traseira na estação tripla, na dianteira está em estação dupla conjugada com o sensor RWS-300 nas laterais próximo a junção do domo radar.

Sensor esquerdo  traseiro Sensor direito traseiro

RWS-300 (Radar Warning System)

Sistema de Alerta Radar, é composto pelo sensor RWS-300, trata-se da antena SAM(Spiral Antenna Module), uma antena em forma espiral coberta por uma capa cilíndrica, é capaz de recepcionar variadas emissões eletro-magnéticas simultaneamente com intervalo situado entre 0.7-40 GHz(pulso radar)  e 0.7-18 GHz(contra medidas) de frequência. Tem o mesmo princípio de funcionamento do sistema MAW utilizando-se do EWC (Electronic Warfare Controller) pode acionar os sistemas defensivos do helicóptero em caso de detecção de ameaças.

BOP-L (Countermeasures-dispensing function)

dispenser II dispenserBOP-L dispenser II BOP-L dispenser  CHAFF (© Eurocopter / Anthony Pecchi)

Dispensador de Contra-medidas, dispositivo em forma de shelter(caixa) que fica instalado em cada lado do cone de cauda do helicóptero. Em uma gaveta interna fica abrigado as cargas pirotécnicas de ejeção do CHAFF e FLARE, acionadas eletronicamente. O CHAFF tem a função de tentar confundir o sistema radar de direção de tiro que compõem as baterias anti-aéreas terrestres ou de guiamento embarcado nos mísseis que estejam engajando o helicóptero. Quando detectada uma ameaça radar crítica(míssil vindo em direção), são ejetadas cargas do shelter que explodem no ar lançando até milhares de lâminas ultra finas formando uma nuvem, composta de metais ou material especial com propriedades para melhor refletir as ondas de radar, podem simular alvos falsos para um sistema de aquisição, com grande chances de desviar o míssil que se oriente por radar em direção a aeronave. O FLARE tem como função atrair e desviar misseis com guiamento por calor (IR). Constituído de material a base de fósforo branco(WP), quando ejetada de sua cápsula e devido as suas propriedades químicas, entra em alta combustão em contato com o oxigênio, produzindo calor intenso, o calor produzido pode confundir o seeker do míssil IR em perseguição fazendo o desviar, em manobra evasiva, são lançadas várias cargas simultaneamente para aumentar as chances de êxito. O BOP-L pode ser (re)abastecido facilmente com a troca da gaveta, apresenta baixo peso, pode ter o lançamento em sequência pré-programada, BIT(check solo) além de ter a possibilidade de carregar até 32 cargas.

Outros itens do H-225M

Flutuadores dianteiros  Guincho carga  Guincho salvamento

APU(Auxiliary Power Unit) – Unidade de força auxiliar, uma pequena turbina localizada na traseira direita da carenagem do rotor principal um pouco atrás do escape do motor. Modelo é o Saphir 20/095 da Microturbo (Safran), com 30KW de potência, pode fornecer energia a aeronave quando não for possível o auxílio de fonte externa. Este componente é presente na versão básica.

Guincho Hidráulico/Elétrico de Içamento Lateral – Também presente na versão básica, está localizado a direita da aeronave acima da porta principal, é constituído de duas unidades de içamento, um guincho acionado hidraulicamente e outro com acionamento elétrico. Essa redundância é para o caso de falha em momento crítico na operação de resgate de pessoal no solo ou água, aumentando ainda mais a segurança. Tem a capacidade de erguer até 272 Kg.

Guincho Hidráulico de Carga Externa – Outro item da versão básica, localizado abaixo do piso, na área central, na linha do eixo do rotor fica o guincho de carga externa, é capaz de transportar externamente até 4,750 kg, tem a forma de pinça que se abre e fecha hidraulicamente,

Flutuadores de Emergência – Dispositivo para pouso de emergência na água, compõem-se de balões que empregam material de confecção náutica(bote e afins) e são acondicionados nas extremidades do helicóptero, normalmente usados em números pares para proporcionar maior estabilidade na água. Em emergências, são inflados por meio de ampolas( garrafas de metais) que contêm  nitrogênio ou outro gás inerte, evitando que o helicóptero afunde em contato com a água, proporcionando tempo suficiente para um abandono seguro da aeronave. O H-225M não foi projetado para flutuar na água. É a primeira vez que um helicóptero da FAB utiliza este tipo de dispositivo, instalado em número de quatro no helicóptero, sendo dois na frente e dois atrás, já se encontrava instalado nos H-225M da Marinha do Brasil por razões óbvias.

Agradecimentos

O Portal Defesa agradece ao Sr. Carlos Battesti, Diretor da Convergência Comunicação Estratégica por permitir a realização das fotos do H-225M na LAAD 2015. Agradecimento especial a Sta. Natascha Ariceto, Assessora de Comunicação da Convergência Comunicação Estratégica pela atenção e gentileza durante toda comunicação com a Helibrás. Ao Sr. Walter Filho, Diretor do Centro de Engenharia da Helibrás e ao CECOMSAER pelas informações cedidas.

Portal Defesa

8 Responses to H-225M: Força Aérea Brasileira entra em novo patamar

  1. Leonardo Andrade disse:

    Eu estou impressionado com a riqueza das informações técnicas sobre o aparelho H-225M especializado em C-SAR com as fotos que são perfeitas para entusiastas que geralmente “salvam” essas imagens para o banco de dados pessoais e não só isso… eu passei literalmente alguns anos tentando entender como seria a distribuição desses helicópteros entre as respectivas unidades de asa rotativas mesmo tendo questionado um jovem piloto do Pelicano alguns anos atrás em um exercício realizado na represa de Jupiá na cidade de Três Lagoas MS quando o mesmo me disse que sua unidade receberia 7 aparelhos para substituição dos velhos Bell UH-1H mas tudo perdeu o sentido quando os primeiros H-225M foram destinados para o 3°/8° mas agora finalmente entendi… parabéns pela matéria que está perfeita.

    • mm Leonardo Jones Müller disse:

      Ficamos lisonjeados com seu apoio, e gostaríamos de dizer que relatos como o seu são a prova de que o Portal Defesa atinge seu objetivo, que é informar de forma precisa e isenta, fazendo a diferença. Muito obrigado mesmo por ler nossas matérias. Espero que possamos seguir agradando nossos leitores. Um abraço!

  2. Wellington Góes disse:

    Gerson, meu amigo, parabéns pela excelente matéria.

  3. Justin Case disse:

    Parabéns pela reportagem, Gerson.
    Abraço,

    Justin

  4. FCarvalho disse:

    Existe a pretensão da FAB em armar este helo com lançadores de foguetes e/ou canhões laterais?

    abs.

    • Gerson Victorio disse:

      FCarvalho, essa pergunta foi feita a FAB, a resposta foi que ele será armado com as metralhadoras 7,62mm(apesar de já ter aparecido na penúltima LAAD uma configuração com canhão 20mm em exposição) . Como a FAB já possui o MI-35 para missão de escolta e ataque, onde pode levar uma boa gama de armamentos como foguetes, misseis e canhão duplo, eu conclui que H-225M não levará armamentos em cabides laterais em virtude de sua missão principal que é o resgate, o acréscimo de armamento em cabides laterais pode degradar o desempenho de qualquer helicóptero sem essa função principal, creio, não seria diferente em relação ao H-225M que já é mais pesado que a sua versão básica em virtude dos componentes exclusivos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

UA-44933895-1