Boeing e Saab lançam GBU-39 SDB a partir do solo

Publicado em: 11/03/2015

Categoria: NOTÍCIAS, VÍDEOS

Visualizações : 1081

Tags: , , , , , ,

A Boeing e a SAAB executaram com sucesso ao longo do mês de fevereiro testes de lançamento da bomba GBU-39 Small Diameter Bomb a partir do solo, com o uso de foguetes do sistema americano M270 MLRS em um programa denominado GLSDB, ou Ground Launched Small Diameter Bomb.

Os testes foram realizados no campo de testes de mísseis em Vidsel, na Suécia, e conseguiram levar com êxito a bomba a uma altitude suficiente para que fosse ejetada do foguete e abrisse suas asas de planeio, a tempo de se guiar em direção ao alvo por meio de seus sistemas de GPS e INS.

Com esse sistema, a artilharia de foguetes teria a capacidade de atingir qualquer alvo a 150km de distância independente de sua localização, mesmo se ele estiver atrás de morros, graças a manobrabilidade da GBU-39.

A Boeing vem trabalhando nessa ideia em conjunto com a SAAB a fim de substituir a ogiva de foguetes do tipo M26 que emprega submunições, um tipo de arma que tem seu uso proibido em 107 países desde o dia 1º de agosto de 2010, quando entrou em efeito a Convention on Cluster Munitions, acordo internacional que estabelece que nenhum dos países signatários pode utilizar, sob nenhuma circunstância, armas que possuam submunições.

Os Estados Unidos não é signatário deste acordo, porém pressões internas tem levado desde 2010 ao desenvolvimento de alternativas ao uso de submunições, mesmo o governo norte americano afirmando que não abre mão das submunições em um horizonte tão próximo.

Outro motivo é o fato de a plataforma M270 ser ainda utilizada por alguns países signatários, além do moderno sistema de artilharia por foguetes dos EUA, o HIMARS, utilizar o mesmo container lançador e os mesmo foguetes do sistema M270.

A ideia é utilizar a GBU-39 nos foguetes M26 sem modificações extensas, apenas instalando a SDB e dando nova perspectiva de uso de munições que até então seriam descartadas. A intenção é a Boeing oferecer junto com a SAAB esta solução aos países que utilizam o sistema o mais breve possível.

Este conceito é similar a um projeto apresentado em 2009 pela antiga BRITANITE em conjunto com a Mectron, aqui no Brasil, e que consistia em uma munição guiada levada por um foguete lançado por uma plataforma terrestre leve ou marítima. O projeto foi apresentado junto com a bomba SMKB, que acabou tendo seu desenvolvimento levado em frente, se tornando a Acauã, guiada por GPS e INS, o mesmo tipo de guiagem que seria utilizado pelo foguete que não foi desenvolvido.

fogueteguiado fogueteguiado2

Portal Defesa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

UA-44933895-1