Rússia incorpora novo SSN

 

Por: César A. Ferreira

A Marinha da Federação Russa comissionou nesta segunda – feira, 30 de dezembro de 2013, calendário gregoriano, o submarino Severodvinsk, primeiro da classe Yasen, ou Projeto 885, que recebe da OTAN a denominação Graney.

Submarino cuja construção iniciou-se em 1993 nos estaleiros Sevmash, foi lançado ao mar no dia 15 de junho de 2010, e iniciou os seus testes de aceitação em 12 de setembro de 2011. Os seus ensaios duraram mais do que 100 dias de mar, no qual se verificou a ocorrência de mais do que 2000 defeitos a serem solucionados. Estes foram variados, envolvendo do desempenho acústico do submarino, aos sistemas de armas. Durante os esforços para solução, executou o submarino um período de ensaios de lançamento subaquático de mísseis de cruzeiro. O Severodvinsk realizou três campanhas de lançamento de mísseis, uma delas resultou em falha, as demais, em sucesso, sendo o alvo móvel naval destruído.

Em conjunto com torpedos pesados e minas, o K-329 Severodvinsk é capaz de portar até 24 mísses P-800 Oniks, também conhecidos como Yakhont (OTAN: SS-N-26), ou Kalibr, também conhecidos como 3M54 Klub (OTAN: SS-N-27). Ambos possuem um alcance da ordem de 300 km, sendo o Oniks consideravelmente mais pesado (3000 kg, contra 2300 kg do Klub), além de mais veloz, com uma velocidade de 2,7 Mach. O Kalibr possui uma velocidade de cruzeiro subsônica, sendo a fase terminal realizada em velocidade supersônica na sua versão 3M54-1. Além destas armas, fazem parte do seu arsenal possível, o afamado torpedo auto-cavitante VA-111 Shkval. Esta arma de 8,2 metros de comprimento e 533 mm de diâmetro, detém a velocidade recorde de 200kts para uma arma subaquática, e atinge alvos distantes até 13.000 metros, sendo a sua cabeça de guerra de 210 kg.

A belonave carrega uma tripulação de 90 especialistas, 58 marinheiros e 32 oficiais. O seu deslocamento, submerso, é da ordem de 13.800 toneladas, e capaz de submergir até a profundidade de 600 metros, as suas dimensões são as de 119 metros de comprimento, boca de 9,4 metros, vela de 4,1 metros (13,5 metros do diâmetro com a vela). Dispõe de eixo único e sua unidade propulsora é um reator de água pressurizada KPM, de 200 MW de potência. No tocante a sensores, além de radares para uso na superfície, exibe um sonar esférico de baixa frequência (MGK-500), grandes sonares de flanco de ultra baixa frequência, além de um sonar rebocado.

O segundo e terceiros submarinos desta classe, Yasen, denominados como Kazan e Novosibirsk, estão em construção, e o total planejado é de oito submarinos. Concebido para ser um caçador/destruidor, tanto de submarinos como de belonaves de alto valor militar, apresentando taxas de discrição baixíssimas e sensores extremamente sensíveis, a classe acaba por exibir, todavia, um custo tido como proibitivo, devido à alta exigência e sofisticação, por isso pretendem os executores russos a adoção de uma classe intermediária, mais simples, ainda que menos capaz.

 

 

Portal Defesa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

UA-44933895-1